Intralogística: investimento revertido em lucro

Intralogística: investimento revertido em lucro

por Rodrigo Recchia

Apesar do termo intralogística ser relativamente recente, o seu significado nada mais é que o planejamento e a gestão das movimentações e armazenagem das mercadorias dentro de uma empresa ou de seus centros de distribuição.

A logística interna bem estruturada reflete em redução de custos, redução de desperdício de materiais, melhor ocupação dos espaços dentro da empresa, flexibilidade operacional, objetividade nas operações, maior produtividade de seus funcionários e, consequentemente, agilidade nos processos da cadeia de suprimentos desde seu início, que começa no recebimento da mercadoria produzida, até a sua entrega ao cliente final.

Manter uma intralogística eficiente e que faça diferença na cadeia de suprimentos, além de gerar competividade no mercado, requer investimentos em tecnologia, infraestrutura e recursos humanos. Atualmente, há uma grande disponibilidade de equipamentos de alta tecnologia para o manuseio das mercadorias, e também, softwares de gestão logística que, atrelados a treinamentos de capacitação de funcionários, proporcionam uma maior agilidade nos processos operacionais de uma empresa.

Os equipamentos atuais disponíveis passam de uma simples transpaleteira, operada manualmente por um funcionário, até transelevadores e esteiras totalmente automatizadas, que não requerem a intervenção humana para o acondicionamento, movimentação e expedição de materiais, realizando, assim, o trabalho de forma segura e rápida.

Diante deste cenário, os softwares logísticos estão acompanhando a evolução tecnológica dos equipamentos, integrando-os e proporcionando a sincronia necessária para a obtenção de melhores resultados em razão deste processo interativo. Os softwares logísticos, como é o caso principalmente do WMS (Warehouse Management System), oferecem os recursos automatizados que atuam em sincronia com a produtividade esperada pela empresa, além de terem a capacidade de mensurar se esta produtividade está de acordo com as expectativas gerenciais de tal corporação.

Contudo, a capacitação dos funcionários para operar tais equipamentos de alta tecnologia se faz necessária, uma vez que é através dela que se obtém uma melhor produtividade no manuseio correto de cada equipamento. Logo, para a utilização de softwares logísticos é importante que se conheça o planejamento das operações e de sua gestão como um todo. Em contrapartida, cabe ressaltar que, operacionalmente, softwares como o WMS são, em sua maioria, de simples operacionalização, facilitando as mais diversas modalidades de operações.

A automatização da logística aqui citada é uma forma de fazer com que as empresas entendam que investir em logística interna não se trata de um custo, mas sim de um investimento que certamente trará o retorno esperado no que tange à lucratividade e à competividade instauradas no mercado empresarial.

Desse modo, a intralogística está presente no dia a dia das empresas, devendo ser levada a sério quando se pensa em agilidade e desenvolvimento corporativo. Nesse sentido, a tríade homem, equipamento e software deve estar em sincronia para extrair o melhor da automatização dos processos logísticos, já que a intralogística eficiente não só agrega valor ao produto, mas também cria a satisfação ao cliente e aumenta a lucratividade da empresa.

Rodrigo Recchia é gestor de desenvolvimento do produto WMS Store Automação, companhia de Tecnologia da Informação especializada no setor logístico.

Deixe uma resposta

Seu email não foi publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>